Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Comissão aprova novas regras para transferência de recursos da saúde



14/10/2008
BRASÍLIA – Foi publicado no Diário da Câmara dos Deputados desta terça-feira (14/10) o parecer aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) sobre o Projeto de Lei 21/07, que determina novas regras para que estados e municípios tenham acesso às transferências obrigatórias de recursos da União para a área de saúde.

De autoria do deputado Dr. Rosinha (PT-PR), o projeto foi recebido pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) no último dia 10 e ainda aguarda designação do relator. O PL tramita em caráter conclusivo e ainda será examinado pelas Comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Pelo texto, para poderem ter acesso aos recursos, estados e municípios terão de apresentar a criação de um fundo de saúde, de um conselho e de um plano de saúde, além da elaboração de relatórios de gestão e da prestação semestral de informações para o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde. O projeto também determina que 70% dos recursos destinados pela União a estados e municípios deverão ir para os municípios. Esse percentual será fiscalizado pelo Conselho Nacional de Saúde.

O relatório aprovado pela CSSF contemplou as cinco emendas propostas pelo relator, Dr. Pinotti (DEM-SP). Dessa forma, a redação final concedeu prazo de dois anos para municípios de até cem mil habitantes implementarem as medidas propostas; prazo de um ano para os com até 500 mil habitantes; e determina implantação imediata para municípios com população superior a 500 mil habitantes. O relator também teve a preocupação de inserir um dispositivo ao texto que dificulte, no Sistema Único de Saúde (SUS), a discriminação de pacientes dos planos privados de saúde, ao garantir tratamento igualitário a todos os pacientes.

A terceira emenda traz alguns conceitos trabalhados também na Emenda Constitucional 29, definindo o que são ações e serviços básicos de saúde (procedimentos de menor complexidade, como diagnóstico e tratamento).

A quarta emenda proíbe a terceirização de serviços públicos de saúde; e a última torna obrigatória a realização de pesquisas de opinião, para dimensionar a eficiência dos serviços prestados pelo SUS e outras informações relevantes para o seu aperfeiçoamento.

O projeto cria, ainda, o conceito de responsabilidade sanitária dos agentes públicos, que representa o compromisso que o chefe do Poder Executivo e os dirigentes da saúde devem assumir no âmbito do SUS. O não-cumprimento das normas previstas levará o dirigente a responder por crime de improbidade administrativa.

Já a base das atividades e programação da União, estados e municípios para o setor será a elaboração anual e plurianual dos planos de saúde. Eles serão elaborados pela direção do SUS em cada esfera de governo, a partir de critérios demográficos, epidemiológicos e de organização dos serviços.

De acordo com o projeto, será proibida também a transferência de recursos para o financiamento de ações e serviços que não estejam previstos no plano, exceto em situações emergenciais ou de calamidade pública na área da saúde. Será considerada infração administrativa a aplicação de recursos em atividades não previstas no plano.

O texto define que os planos de saúde devem rever a obtenção de resultados mínimos, de acordo com metas estabelecidas periodicamente pelo Ministério da Saúde, em relação a pelo menos mortalidade infantil e materna; mortalidade por doenças e agravos evitáveis; infecção hospitalar; parto cesariano; filas de espera; atendimento humanizado; fornecimento de medicamentos; programa de saúde da família; protocolos técnicos de condutas profissionais nas áreas de promoção, proteção e recuperação da saúde; e capacitação e formação de pessoal.
Fonte : Agência Câmara



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1135 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)