Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Minist?rio discute incorpora??o da vacina contra o HPV no SUS



08/02/2007
Ser? realizada nesta quinta-feira (08/02), a primeira reuni?o do grupo de trabalho criado pelo Minist?rio da Sa?de para discutir a incorpora??o da vacina contra o HPV -v?rus associado ao surgimento do c?ncer de colo do ?tero -no Sistema ?nico de Sa?de (SUS). A id?ia ? auxiliar o minist?rio nas atividades voltadas para o planejamento, a implanta??o, o monitoramento e a avalia??o da vacina no Brasil.



Sob a coordena??o do Instituto Nacional do C?ncer (Inca), os participantes discutir?o as possibilidades de utiliza??o da vacina na popula??o brasileira e abordar?o alguns temas como a situa??o do controle do c?ncer de colo do ?tero no Brasil e a faixa et?ria ideal para aplica??o da vacina.



A vacina contra o HPV foi autorizada pela Ag?ncia Nacional de Vigil?ncia Sanit?ria (Anvisa) no fim de 2006. Os resultados aprovados s?o para a preven??o do HPV 16, o mais associado ao surgimento do c?ncer do colo uterino.



Apesar da efic?cia, os efeitos de erradica??o da doen?a com a vacina s? aparecem em longo prazo. O diretor do Inca, Luiz Antonio Santini, enfatiza a import?ncia da realiza??o de exames preventivos. ?As mulheres devem continuar fazendo exames de preven??o como o Papanicolaou, por exemplo. O acompanhamento m?dico regular ? imprescind?vel. A vacina n?o tem efeito sobre quem j? est? contaminado pelo v?rus?, explica. Estudos no mundo comprovam que 50 a 80% das mulheres sexualmente ativas ser?o infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas.



Uma das dificuldades enfrentadas no processo ? o alto custo de produ??o da vacina. Hoje, o tratamento completo ? que dura seis meses ? custaria em m?dia R$ 820,00. Segundo Santini, ?o processo deve ser negociado com os laborat?rios para que a incorpora??o ao SUS aconte?a na melhor condi??o de custo-benef?cio?.



Al?m disso, a defini??o da popula??o-alvo para receber as doses da vacina e a imunidade oferecida tamb?m continuam indeterminadas. Santini explicou que a vacina??o deveria proteger as mulheres por v?rias d?cadas, mas, at? o momento, os estudos apontam que s? existe a convic??o de uma prote??o por cinco anos. ?Apesar de ser um avan?o estrat?gico na sa?de p?blica no combate ao HPV, ainda ? preciso delimitar qual o alcance sobre a incid?ncia e a mortalidade da doen?a?
Fonte : Instituto Nacional do C?ncer (INCA) - 08/02/2007



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 680 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)