Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Am?rica Latina precisa de consenso sobre tratamento e preven??o da aids



12/01/2006
Bras?lia ? Representantes de 19 pa?ses latino-americanos come?aram hoje (12) um debate com o objetivo de elaborar estrat?gias de acesso universal a medicamentos anti-retrovirais e a insumos de preven??o contra as doen?as sexualmente transmiss?veis e a aids. As discuss?es v?o at? s?bado (14). Os resultados ser?o apresentados durante encontro na Assembl?ia Geral da Organiza??o das Na??es Unidas, em maio.



O diretor do Programa Nacional de DST/AIDS do Minist?rio da Sa?de, Pedro Chequer, espera que at? o fim do encontro em Bras?lia os latino-americanos cheguem a consensos sobre o tratamento da aids. Ele defende ainda que os pa?ses se comprometam a rejeitar iniciativas de preven??o sem fundamento cient?fico, como a recusa ao uso do preservativo por motivo religioso, filos?fico ou tradicional.



Pelo menos 300 mil pessoas est?o em tratamento com medicamentos antiretrovirais na Am?rica Latina e no Caribe, segundo estimativas a Organiza??o Mundial de Sa?de (OMS). Deste total de pacientes, 170 mil est?o no Brasil. O custo do tratamento aumentou no pa?s desde 2003. "O custo m?dio era de US$ 1,35 mil por paciente/ano em 2003 e, em 2005, chegamos a US$ 2,5 mil", afirmou Chequer, que participou do primeiro dia de encontro com os representantes de pa?ses latino-americanos.



Diretor defende produ??o nacional de rem?dios



Durante o encontro com representantes de 19 pa?ses da Am?rica Latina, Pedro Chequer defendeu a produ??o nacional de medicamentos como solu??o para redu??o de pre?os do tratamento em toda regi?o. Chequer tamb?m apresentou as iniciativas do governo brasileiro para negociar a redu??o do pre?o de medicamentos com detentores das patentes, em geral laborat?rios farmac?uticos.



De acordo com ele, a necessidade de importar rem?dios cada vez mais sofisticados, diferentes dos utilizados no in?cio da terapia, gerou o aumento do custo do tratamento. "A alternativa para que o pa?s tenha um programa sustent?vel ? a produ??o nacional de medicamentos e de prefer?ncia a produ??o estatal. Pagamos hoje at? nove vezes o pre?o justo por um medicamento", afirmou o diretor do Programa de DST/Aids.



Chequer destacou que o or?amento para o Programa Nacional de DST e AIDS do Minist?rio da Sa?de aumentou 21,5% em 2006 em rela??o ao ?ltimo ano. Ser? de R$ 1,3 bilh?o, sendo quase R$ 1 bilh?o destinado a medicamentos. Al?m disso, lembrou a meta de distribuir este ano 1,5 bilh?o de preservativos.



A popula??o de classe m?dia tamb?m ter? um acesso mais f?cil. Vai poder comprar o preservativo por R$ 0,25 em pontos comerciais e organiza??es n?o-governamentais, inserindo uma moeda na m?quina que ainda passa por testes. De acordo com Chequer, a iniciativa deve beneficiar a popula??o ainda este ano.







Fonte : Ag?ncia Brasil - 12/01/2006



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 455 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)