Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar




Palavras-chave

RS: diretor responde reivindicações de médicos da unidade



25/11/2013
O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) ouviu na manhã desta quinta-feira, 21, o diretor da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Zona Norte de Porto Alegre, João Albino Potrich. Ele esteve reunido com a vice-presidente, Maria Rita de Assis Brasil, para responder sobre as reivindicações dos médicos do posto recebidas pela entidade, como melhorias na infra-estrutura e contratação de mais profissionais.

Segundo ele, que também é médico, a unidade enfrenta dificuldades na área clínica, devido à falta de profissionais. Para fechar o quadro de escalas seriam necessários mais 9 médicos no grupo que hoje conta com aproximadamente 48 profissionais para realizar, entre consultas e reavaliações, a demanda de, em média, 500 atendimentos diários.
Para melhorar as condições de trabalho, o diretor afirma que uma proposta, que já foi apresentada para a Secretaria de Saúde, visa transferir o serviço de pediatria para o Hospital da Criança Conceição – outra unidade gerida pelo Grupo Hospitalar Conceição (GHC). "A localização geográfica não vai interferir no deslocamento dos pacientes e para a UPA é importante, pois amplia o espaço de assistência aos pacientes adultos, o número de leitos para observação, além de abrir mais consultórios", argumentou Potrich.

Ainda nas pautas do local, o diretor disse que uma ambulância fixa é necessária para a transferência de pacientes quando há vaga nos leitos de retaguarda e para encaminhar pacientes para exames, como tomografias e ecografias, que são realizados no Hospital Nossa Senhora da Conceição. "Essa é uma grande deficiência. Precisamos com urgência uma ambulância básica que fique à nossa disposição. O tempo de espera dificulta nosso trabalho, pois por vezes o SAMU não tem ambulância suficiente e alguns procedimentos acabam demorando mais tempo do que deveriam", explicou.

O grupo de médicos da UPA também relatou ao Sindicato a necessidade de mudanças na infra-estrutura do local. Sobre esses pedidos, Potrich informou que já foi solicitada a instalação de ar-condicionado, alterações nas salas de descanso, com a compra de camas beliches. Segundo ele, a falta de armários já foi suprida com a chegada de 100 unidades no último dia 20.

A dirigente do SIMERS lembrou que o projeto das UPAs no país é inicial e que ainda existem dificuldades no funcionamento destes locais. "É uma realidade de todo país e, junto a isso, sabemos que as grandes demandas tornam o trabalho mais difícil. A nossa sugestão é que essas condições sejam melhoradas e que os profissionais possam exercer uma boa medicina", disse.

Maria Rita lembrou ainda da resolução nº 007/2011 do Conselho Regional de Medicina do RS, que estipula o número de atendimentos que devem ser realizados pelos médicos por turnos de quatro horas. Ela ressaltou que em locais de grande circulação de pacientes, essa norma pode ser desrespeitada em função da demanda. "O sindicato trabalha no sentido de que a população possa ser bem atendida e que o exercício de medicina seja adequado para os médicos que trabalham nessas linhas de frente que são as UPAs", finalizou a vice-presidente.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 876 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)