Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

FENAM apoia reabertura da Santa Casa de Misericórdia no RJ


Foto: Valéria Amaral
FENAM apoia reabertura da Santa Casa de Misericórdia no RJ
O Sinmed-RJ alerta que o fechamento do hospital interditou ambulatórios, procedimentos médicos, exames e está penalizando a população.


06/11/2013
O presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Geraldo Ferreira, demonstrou apoio à reabertura do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, durante assembleia geral dos funcionários nesta quarta-feira (06), na capital fluminense.

A reunião buscou traçar estratégias para reabertura da entidade, normalização do atendimento à população e o pagamento atrasado aos funcionários. O Hospital, na Rua Santa Luzia, no centro da capital, foi interditado após inspeção da Vigilância Sanitária Estadual.

Na ocasião, o chefe do setor de neurologia da Santa Casa, Sérgio Novins, denunciou que 600 leitos na Santa Casa foram fechados desde a interdição do hospital. Segundo ele, somente no setor de neurologia existem 3.132 pacientes epiléticos que, rotineiramente, buscavam à Santa Casa para consultas e para obterem receitas médicas para medicamentos controlados.

"Estamos proibidos de trabalhar. O paciente não consegue o medicamento controlado por que não tem a receita. A orientação da secretaria é para encaminhar para outros hospitais, mas seis unidades de saúde estão fechadas e não há vagas. A população ficou totalmente abandonada, sem a menor sensibilidade das autoridades e da administração da Santa Casa", alertou.

Durante a reunião, o professor de Medicina da Universidade Gama Filho na Santa Casa e diretor financeiro do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro, Jorge Amaral, reforçou que para a resolução de parte dos problemas da instituição precisa haver transparência total dos gastos e das receitas.

"Se existe irregularidades, elas precisam ser apuradas e colocadas ás claras pela polícia. A população, os alunos, o corpo docente e os funcionários não podem pagar esse preço", esclareceu. Além disso, ele defendeu a criação de uma comissão permanente de acompanhamento do andamento da situação.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), Jorge Darze, disse que vai buscar soluções para a reabertura da Santa Casa com a interlocução com o governo federal por meio de apoio de parlamentares para reaver o convênio com o SUS, que viabilizaria a sustentação financeira dos procedimentos hospitalares. "O que nós não podemos permitir é que pacientes graves tenham o seu tratamento interrompido por essa ação predatória do governo do RJ de tentar barganhar empurrando uma OS {Organização Social}", afirmou.

Além do atendimento à população, funcionavam na Santa Casa programas de residência médica, com professores preceptores da Universidade Gama Filho, Faculdade de Medicina Souza Marques, Universidade do Grande Rio, UNI-Vercidade e PUC-RJ.

Ficou decidida uma nova assembleia na próxima segunda-feira (11), na qual estarão presentes parlamentares federais, as entidades, os funcionários da Santa Casa e das universidades, além dos estudantes.

FECHAMENTO PREJUDICA A POPULAÇÃO
O fechamento do hospital interditou as enfermarias, salas de cirurgia, setor de RX, ultrassonografia, tomografia, ressonância, laboratório e dezenas de salas de ambulatórios, onde diariamente centenas de pacientes com diagnósticos de câncer e outras doenças não estão tendo seus resultados recebidos, dificultando a sobrevida, alerta o Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro.

A farmácia também foi lacrada no início de outubro, proibindo a distribuição gratuita de vacinas e medicamentos pacientes com Aids, Tuberculose e Hanseníase.

"Somos favoráveis que a Vigilância Sanitária exija o cumprimento de condições apropriadas e que a direção da instituição providencie sempre todas as adequações solicitadas. Mas, somos contra a interdição total, pois prejudica milhares de pacientes, que fazem acompanhamentos gratuitos", destacou Darze. No hospital, funciona ambulatórios clínicos, cirúrgicos, dermatológicos, endocrinológicos, gastroenterológicos, hepáticos, neurológicos, obstétricos, oftalmológicos, psiquiátricos, psicológicos , pneumológicos, renais, urológicos, reumatológicos e oncológico.

REUNIÃO COM O PRESIDENTE DA FRENTE PARLAMENTAR DAS SANTAS CASAS
Ao final desta quarta-feira (06), representantes da FENAM se reuniram com o presidente da Frente Parlamentar das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas, o deputado Antônio Brito (PTB/BA). O objetivo do encontro foi expor a situação da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e pedir apoio.

O deputado foi convidado a participar de ato público que consistirá em um abraço simbólico ao hospital na próxima segunda-feira (11). Entidades e profissionais ligados à saúde, estudantes e pacientes participarão em defesa do retorno do funcionamento da unidade. Antônio Brito se comprometeu a integrar e somar força ao movimento. Após o ato, haverá reunião com o corpo clínico da Santa Casa.
Fonte : Valéria Amaral



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1998 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)