Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Especialista propõe criação de tributo para financiar a Saúde


Foto: Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados
Especialista propõe criação de tributo para financiar a Saúde
Para professor da UFMG, contribuição de 0,3% sobre transações financeiras seria solução conjuntural para o setor. Deputados discordam que momento atual comporte a criação de nova contribuição.


10/05/2013
O representante da Associação de Professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Elias Antônio Jorge defendeu, em audiência pública na terça-feira passada, na Comissão Especial sobre Financiamento da Saúde Pública, a criação de um novo tributo destinado exclusivamente à Saúde. Denominada pelo professor de Contribuição Federativa sobre Movimentação Financeira (CFMF), a nova contribuição seria de 0,30% sobre as transações no sistema financeiro.

De acordo com o especialista, essa seria uma “solução conjuntural” para o setor. O total da arrecadação com a CFMF deveria ser destinado pela União à atenção básica, com o objetivo de reduzir os gastos do sistema. “Não basta ter mais dinheiro para fazer o mesmo, é preciso mais dinheiro para fazer diferente, fazer que o gestor deixe de ser refém da doença”, afirma Jorge.

O Executivo federal ainda ficaria obrigado a destinar um terço do equivalente ao valor arrecadado, mas advindo das outras fontes, aos estados e mais um terço aos municípios. Essas transferências, no entanto, seriam condicionadas à aplicação dos valores mínimos previstos em lei para educação e saúde.

Dificuldade
Para os deputados, no entanto, a conjuntura não é adequada à aprovação de um novo tributo. O relator da comissão e autor do pedido de realização a audiência, deputado Rogério Carvalho (PT-SE), argumentou que, “no momento de desoneração é preciso avaliar a criação de novos tributos, ainda que meritórias”. Mas o relator não descartou completamente a sugestão. Segundo ele, no final do ano, quando deve entregar o relatório, com a economia em crescimento, ele poderá prever sua adoção.

Também autor do requerimento, o deputado Mandetta (DEM-MS) concorda com a dificuldade de propor aumento da carga tributária no contexto atual. “Como vamos justificar que estamos abrindo mão de tributos, mas criando um outro?”, questionou.

Solução definitiva
Como solução definitiva para sistema público de saúde, Elias Jorge defendeu medidas como a taxação de grandes fortunas, assim como aumento da tributação de produtos nocivos à saúde, como automóveis, motos, bebidas alcóolicas e fumo. Mandetta se disse plenamente favorável a essa solução. “Com o álcool, o governo arrecada R$ 4,5 bilhões e gasta R$ 18 bilhões”, comparou.

Elias Jorge também reclamou que medidas aprovadas no Congresso reduzem constantemente o financiamento da seguridade social no País, por meio da desvinculação de receitas para o setor. Segundo sustentou, o maior risco estrutural que a seguridade corre no momento é a reforma tributária, que transforma todas as contribuições sociais no Imposto sobre Valor Agregado (IVA). “Isso desmonta de vez todo o sistema”, garante. Atualmente, é a arrecadação com esses tributos que financia o sistema de seguridade.

Mas o presidente da comissão, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), tranquilizou o professor. “O governo está fatiando e não vai ressuscitar [a proposta], nós a enterramos há três anos”, afirmou.
Fonte : Agência Câmara Notícias



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 812 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)