Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

AM: sindicato defende medida emergencial para a saúde pública no interior



15/04/2013
O Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) está propondo uma medida emergencial para oferecer assistência de saúde aos municípios do Amazonas com base na criação de grupos de trabalho, de forma temporária e composta inicialmente por profissionais da Secretaria de Estado da Saúde, das Cooperativas/Empresas e Sociedades de Especialidades Médicas do Amazonas, que já atuam no Estado, registrados e aptos a exercer a medicina de forma ética, com qualidade e dentro da legalidade.

De acordo com o presidente do Simeam, Mario Vianna, na medida emergencial, estaria incluída a tarefa de coletar dados e criar protocolos para a assistência de saúde estabelecendo perspectivas de referências e contra referências, incluindo municípios de uma determinada região do interior e a capital nos casos extremos. A formatação de propostas de recursos humanos, instalações e equipamentos para cada localidade, levando em consideração dados epidemiológicos, densidade populacional, distância da capital, recursos humanos e de infraestrutura já existentes, também seriam levantados.

"Assim, nesse contexto, entendemos como importantíssima à participação das Forças Armadas, que têm a experiência no planejamento e execução de operações de apoio de saúde às comunidades de difícil acesso e fronteiras. Essa proposta foi concebida a partir de diversas reuniões de trabalho dirigidas pelo Simeam, que vem sendo aperfeiçoadas a partir de encontros e discussões, como os ocorridos, recentemente com o General Villas Bôas, General Theophilo e seus respectivos staffs", complementou o Dr. Mario Vianna.

O objetivo principal da proposta do Simeam vai além de uma grande ação emergencial de saúde, a ideia é montar em noventa dias, propostas de equipes de saúde, com as especialidades e as quantidades adequadas às necessidades de cada município, que terão a disposição duas equipes fixas multiprofissionais num sistema de "confinamento", com trabalho contínuo de 15 ou 21 dias, com o mesmo período de repouso na capital.

A ação deverá ser exercida por médicos, contratados por concurso para uma carreira de estado para o interior, nos moldes do judiciário, que deverá ser incluída na PEC que cria a Carreira Médica do Estado, proposta pelo deputado estadual Luiz Castro (PPS), sendo uma alternativa para a longa permanência de médicos no interior que ainda oferece poucos atrativos, do ponto de vista social para vários profissionais e seus familiares.

Vianna alerta que esse é um modelo que deu certo no Sistema Petrobrás e outras empresas e que atende com muita eficiência a Base de Extração de Urucu e as Plataformas de Petróleo da Bacia de Campos. "Esse modelo pode ser uma grande alternativa também para diversas outras localidades de difícil acesso no Brasil e se tornar uma solução definitiva, que caminhará com o desenvolvimento dessas localidades, podendo gerar inclusive o desejo, após algum tempo, de muitos profissionais, permanecerem em definitivo nessas localidades", destacou.
Fonte : SIMEAM



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1022 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)