Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar
Vídeos relacionados




Palavras-chave

RS: médicos peritos do INSS paralisam nesta quarta



12/03/2013
Médicos peritos do INSS no Estado vão paralisar suas atividades por dois dias. A mobilização, que inicia nesta quarta-feira (13) e se estende até quinta-feira (14), reivindica que a Previdência Social cumpra o compromisso assumido com os médicos de implantar a jornada de 20 horas semanais. Nos dias do protesto, os profissionais se reunirão na sede do Sindicato, em Porto Alegre, durante todo o dia. Na quarta-feira, ocorrerá uma reunião às 14h no auditório do SIMERS, para avaliar a mobilização.

A vice-presidente da Associação Gaúcha dos Médicos Peritos e diretora do SIMERS, Clarissa Bassin, orienta os segurados que tem perícias marcadas para estes dias que compareçam as agências para remarcar nova data para atendimento. De acordo com Clarissa, o movimento cobra cumprimento de promessa do secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, de que seria adotada a jornada de 20 horas. O compromisso foi assumido em novembro de 2012. Os médicos peritos também denunciam o desmonte desta carreira federal.

A mudança é considerada essencial pela categoria para atrair mais médicos à carreira e garantir condições de atendimento dos segurados. "O INSS remunera para 40 horas semanais menos que o piso da Federação Nacional dos Médicos, Fenam, defendido pelas entidades", destacou Clarissa. Há médicos aprovados em concursos públicos que não foram chamados em todo o país, ao mesmo tempo que a seleção de 2012 no Rio Grande do Sul mostrou pouca atratividade da atual carreira.

Dados da associação apontam que 894 médicos peritos se exoneraram entre 2010 e esta terça-feira (12) no país. Outros 822 se aposentaram no mesmo período. Somente em 2013, 65 médicos peritos já se exoneraram e 37 se aposentaram.

No Estado, que soma pouco mais de 300 peritos, a Associação Gaúcha dos Médicos Peritos estima que seja necessário o dobro de especialistas para conseguir fazer as perícias em até 15 dias, para não prejudicar os trabalhadores. Hoje o prazo ultrapassa 60 dias, o que gera atrasos no pagamento de benefícios. A demanda de perícias cresceu nos últimos anos devido à inclusão de mais trabalhadores na Previdência Social.

"A carência se agrava a cada dia no número de médicos, tanto para realizar os laudos quanto às demais avaliações, como perícias de ambientes de trabalho e de aposentadorias especiais", adverte Clarissa. As condições de sobrecarga de agendas também afastam médicos, o que reforça a importância das 20 horas.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1095 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)