Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

CIRH avalia portaria do MEC que regula abertura de escolas médicas


Foto: Fernanda Lisboa
CIRH avalia portaria do MEC que regula abertura de escolas médicas
Diretor de comunicação da FENAM, Waldir Cardoso, é o representante da entidade na Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH).


01/03/2013
A Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH) esteve reunida nos dias 27 e 28, no plenário do Conselho Nacional de Saúde (CNS), para principalmente analisar as portarias 02 e 03/2013 assinadas pelo Ministério da Educação. Presente na ocasião, o diretor de comunicação da FENAM, Waldir Cardoso, destacou a terceira que estabelece os procedimentos e o padrão decisório para os pedidos de autorização dos cursos de graduação em medicina ofertados pelas IES integrantes do Sistema Federal de Ensino.

Para ele, a portaria possui duas visões. "Entendo que é um avanço ao estabelecer critérios mais claros, pondo um freio no verdadeiro "balcão de negócios" em que se transformou a abertura de escolas médicas no país. Por outro lado ainda é insuficiente para coibir a abertura em municípios que já tem mais de um curso e induzir os empresários da educação em investir em municípios e regiões onde estes cursos não estão disponíveis para a população", explicou.

Os esclarecimentos foram prestados pela diretora de regulação da educação superior do Ministério da Educação, Andréa de Faria Barros Andrade. A portaria vai regular a análise das 57 solicitações de abertura de cursos de medicina atualmente existentes no MEC. Os pedidos de abertura serão analisados pela Secretaria de Regulação e Supervisão de Educação Superior (SERES), segundo os procedimentos e padrão decisório estabelecidos na Norma. Antes da autorização ou rejeição pelo MEC todos os cursos devem ter sido avaliados pelo INEP (in loco) e pelo CNS, nesta ordem.

Os processos serão instruídos mediante a apresentação de Demonstrativo técnico que fundamente a relevância social da implantação do curso; Memorial descritivo do curso com dados técnicos como número de vagas, descritivo das instalações titulação e experiência do corpo docente; Disponibilidade de Hospital de Ensino próprio ou conveniado com número de leitos disponíveis por aluno (pelo menos cinco por aluno) e que não esteja saturado pela utilização de outros cursos de medicina (grau de comprometimento); Existência de Núcleo Docente Estruturante, adequadamente titulado e com experiência de, pelo menos, cinco anos.

Com estes documentos comprobatórios será analisada a admissibilidade do curso na qual o pedido de autorização observará, necessariamente, a estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes e disponíveis no município de oferta do curso.

Neste momento, o protocolo de recebimento de propostas de avaliação de novos cursos ou novas vagas em cursos de medicina já existentes está fechado. O Ministério da Educação vai inverter a lógica de abertura de cursos de medicina. Ao invés de receber propostas por demanda espontânea, quer escolher os cursos a serem abertos mediante critérios baseados no interesse público. Para tanto está elaborando um edital de chamamento público onde pretende estabelecer com clareza os critérios e a forma de pontuação com que serão avaliados. O objetivo é induzir a abertura de novas escolas ou vagas em regiões onde o número de vagas por habitante seja baixo como acontece na maioria dos estados da região Norte e Nordeste. O Edital está em elaboração, mas não tem prazo para ser concluído e lançado.
Fonte : Waldir Cardoso



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1055 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)