Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Médicos estrangeiros que pretendem atuar no país fazem segunda etapa do Revalida em dezembro


Foto: Divulgação Internet
Médicos estrangeiros que pretendem atuar no país fazem segunda etapa do Revalida em dezembro
O Revalida é implementado desde 2011 pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).


22/11/2012
Noventa e oito médicos estrangeiros ou que fizeram o curso de medicina fora do país vão fazer a segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) nos dias 1º e 2 de dezembro. O número representa apenas 12,5% dos 782 participantes que fizeram a primeira parte do exame. Na prática, o diploma desses profissionais obtidos em universidades fora do Brasil não tem validade no país.

O Revalida é implementado desde 2011 pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e é feito em duas etapas: avaliação escrita – composta por uma prova objetiva, com questões de múltipla escolha, e uma prova do tipo discursiva. Na segunda etapa é realizada a parte prática, com uma avaliação de habilidades clínicas. As duas fases têm caráter eliminatório e os 92 médicos que farão a prova em dezembro foram aprovados na primeira etapa.

Além das etapas do exame, o candidato precisa apresentar o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), no nível intermediário-superior.

De acordo com informações do Conselho Federal de Medicina (CFM), o país tem 371.788 médicos em atuação. O número foi registrado em outubro de 2011 e confirma tendência de crescimento da categoria, o que ocorre há 40 anos. De 1970 até hoje houve um aumento de 530% de profissionais. Naquele ano o país tinha 58.994 médicos. A estimativa do conselho é que, desde o ano passado, cerca de 16.800 novos profissionais entram no mercado de trabalho anualmente.

A entidade defende o atual formato do exame e condena a revalidação automática de diplomas estrangeiros. "Sem observar estes critérios, se colocará em risco a saúde da população e não solucionará o problema da falta de médicos em algumas regiões e em determinados serviços públicos de saúde no Brasil", afirma em nota o CFM.

As provas práticas serão realizadas em Brasília, no Hospital das Forças Armadas (HFA). Elas têm o objetivo de verificar conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado ao Sistema Único de Saúde (SUS), em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no Brasil.
Fonte : Agência Brasil



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 831 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)