Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Comissão da Câmara apoia campanha por 10% de investimento da União na saúde


Foto: Lúcio Bernardo Jr - Agência Câmara
Comissão da Câmara apoia campanha por 10% de investimento da União na saúde
Deputado Pestana:a saúde é prioridade para a população, mas o governo não é coerente com essa prioridade.


31/10/2012
Deputados da Comissão de Seguridade Social e Família apoiam a coleta de assinaturas para um projeto de iniciativa popular que obrigue a União a investir no mínimo 10% do Produto Interno Bruto (PIB) no sistema público de saúde.

Se a proposta fosse aprovada neste ano, o aumento nos investimentos seria de cerca de R$ 40 bilhões. Atualmente, só estados e municípios devem cumprir um percentual mínimo de investimento em saúde. Os estados têm que aplicar 12% de suas receitas líquidas em saúde e os municípios, 15%. A União deve aplicar no setor, anualmente, o valor empenhado no exercício financeiro anterior, acrescido de, no mínimo, o percentual correspondente à variação nominal do PIB. Na prática, a União gasta, em média, 7% de sua receita bruta com saúde.

A iniciativa faz parte do movimento "Caravana da Saúde", promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Represenantes do movimento participaram nesta terça-feira de audiência pública na Comissão de Seguridade.

A divulgação e o recolhimento de assinaturas foi iniciada em abril pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e já recolheu 400 mil assinaturas. O objetivo é chegar a um milhão.

O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) propôs que o exemplo da Assembleia de Minas seja seguido e que os deputados federais encontrem formas de ampliar essa iniciativa para todo o País.

Para o deputado, um projeto de iniciativa popular com milhões de assinaturas pode sensibilizar o Congresso Nacional e o governo federal. "A prioridade da saúde na cabeça da população é clara, qualquer pesquisa de opinião indica isso. Mas há um paradoxo, na hora que o sistema de decisão representativo da sociedade vai operar, ele não é coerente com essa prioridade da população.” Pestana acrescenta que os parlamentares devem mobilizar a sociedade. “O que ficou como tarefa é replicar por todos os estados processos como esse liderado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais."

O presidente da Frente Parlamentar da Saúde, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), afirmou que a iniciativa popular é uma resposta contra a supressão no Senado do artigo que previa o índice de investimento da União na proposta (Lei Complementar 141/12) que regulamentou a Emenda 29. Ele informou que hoje os investimentos da União não chegam a 7% do PIB. "Esse projeto de iniciativa popular vai fazer com que o governo federal, o governo Dilma, ponha no mínimo 10% do equivalente a suas receitas brutas na saúde. Hoje, o governo brasileiro é um dos que menos gasta em saúde."

Quem quiser assinar o projeto de iniciativa popular pode obter mais informações na página da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, no endereço www.almg.gov.br, ou procurar o conselho de saúde de sua cidade e se informar se a campanha já foi iniciada em seu estado. Para participar é preciso ter em mãos o número do título de eleitor.

A Câmara já analisa dois projetos com esse mesmo teor.




Fonte : Agência Câmara



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 680 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)