Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Deputado federal cobra piso salarial e respeito para a categoria médica



05/06/2012
O deputado federal e engenheiro Romero Rodrigues (PSDB-PB) discursou na Câmara dos Deputados, em Brasília solicitando a aprovação do Projeto de Lei 2.750/2011, de autoria do deputado André Moura, que fixa o piso salarial nacional dos médicos em R$ 9.000,00, valor mais compatível, segundo estudos, com a importância e complexidade das funções que exercem e que merece todo o nosso apoio para a sua aprovação.

Disse que é inegável a contribuição dos profissionais médicos para a sociedade, sem que se te tenha uma política de valorização da carreira. A luta por um piso salarial médico é encampada pela união das principais entidades representativas: A Federação Nacional dos Médicos (FENAM), o Conselho Federal de Medicina e Associação Médica Brasileira.

Destacou que falta à categoria condições dignas de trabalho e salários compatíveis com a carga horária e as funções exercidas. É preciso garantir também, ao lado da melhoria salarial, o direito à educação continuada, o acesso a cursos de especialização, a garantia de adequação tecnológica e segurança dos espaços de trabalho, para que o beneficiário maior, a população, perceba o quanto essa política de valorização do profissional médico irá refletir também na qualidade, humanização e acolhimento dos cuidados prestados.

Romero afirmou que a aprovação do PL 2.750/2011, não é apenas a instituição de um piso salarial, mas o reconhecimento da importância de quem lida, ao lado dos demais profissionais da área de saúde, com denodo, abnegação e competência de nossa saúde e de nossas vidas.

Por outro lado, na contramão de tudo o que aqui foi dito, que é a importância da valorização da classe médica, vem o Governo Federal e edita a Medida Provisória 568/2012, um verdadeiro acinte à classe, que reduz à metade os salários dos médicos da União, e aumenta-lhes a carga horária. A MP 568/2012, cria ainda duas novas tabelas para os médicos, de 20 e 40h, e também muda a forma de pagamento de insalubridade e periculosidade, tudo em prejuízo da classe, num total desrespeito às conquistas dos servidores.

"Assim, conclamo os colegas deputados que não deixemos que os servidores públicos, especialmente os médicos, paguem por equívocos do Governo. Vamos derrotar nesta Casa os artigos dessa MP, contrários a essa categoria", finalizou.
Fonte : Assessoria deputado Romero Rodrigues



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1139 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)