Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

AL: sindicato denuncia médicos "fura-greves" ao Conselho Regional de Medicina



19/12/2011
Três médicos contratados pela Secretaria Municipal de Saúde de Capela (AL) para substituir colegas grevistas foram denunciados, na semana passada, ao Conselho Regional de Medicina de Alagoas. Eles vão responder por infração ao Código de Ética da classe. Outro médico, que faz parte do quadro do município, também foi denunciado.

Na semana anterior, o Sinmed/AL já havia entrado com representação contra outros três médicos que estão furando o movimento grevista em Boca da Mata (AL). Esta semana o Sinmed vai representar contra médicos convocados pela Prefeitura de Satuba para furar a greve no PSF.

Os médicos representados responderão a processo ético, terão que contratar advogado e tentar explicar aos conselheiros o fato de terem ignorado o Código de Ética Médica, aceitando substituir colegas que participam de um movimento legítimo, na luta por salários dignos.

Em Capela, Boca da Mata, Satuba e todos os demais municípios onde a greve continua, os 30% de serviços exigidos por lei estão sendo mantidos. Todas as exigências que determinam a legalidade do movimento foram e continuam sendo cumpridas. Por isso, enquanto durar a greve os grevistas não podem ser substituídos e nem terem seus salários suspensos ou descontados.

"A diretoria do Sinmed gostaria de não precisar entrar com as representações contra médicos, mas quem fura a greve e enfraquece o movimento da categoria merece punição. É lamentável a atitude desses médicos que são, na maioria, recém formados e que já iniciam o exercício profissional respondendo a processo ético," destacou o presidente do sindicato, Wellington Galvão.

Confira como estão as negociações em outros municípios do estado:

PALMEIRA DOS ÍNDIOS: DEMISSÃO COLETIVA
Os médicos do PSF de Palmeira dos Índios decidiram poupar a prefeitura do trabalho de ingressar na Justiça com pedido de ilegalidade da greve. Em reunião marcada para terça-feira (20), eles vão entregar o pedido de demissão coletiva e deixar definitivamente o PSF.

A decisão foi tomada depois da última reunião com a secretária de Saúde do município, que informou da determinação do prefeito de não conceder nenhum reajuste e de ir à Justiça pedir que a greve seja decretada ilegal. Com isso, os médicos seriam obrigados a voltar ao trabalho com os mesmos salários e com carga horária maior.

INDEFINIÇÃO EM ARAPIRACA
A Justiça, que concedeu liminar à Prefeitura de Arapiraca decretando ilegal a greve dos médicos, ainda não julgou o Agravo de Instrumento do Sinmed para derrubar a liminar. Isso obriga os médicos a continuarem trabalhando insatisfeitos com os salários, com a carga horária e, principalmente, com o desrespeito da Prefeitura à categoria.

Além das demissões já ocorridas, outros médicos demonstram cansaço com a espera e ameaçam desistir: mais demissões vão acontecer. A categoria está em "estado de greve", esperando a resposta ao Agravo de Instrumento e ao mesmo tempo pronta para sair.

O Sinmed continua aberto ao diálogo com o prefeito, na expectativa de um chamado para negociação. E, evidentemente, apoiando qualquer decisão que seja tomada pelos médicos.

ACORDO EM RIO LARGO
Na última segunda-feira (12), depois de uma reunião que durou quase 5 horas, a Prefeitura de Rio Largo chegou a um entendimento com os médicos do PSF. O prefeito Toninho Lins esteve presente do inicio ao fim da reunião, mostrando vontade política de negociar.

Além da negociação salarial, o acordo que deixou os médicos satisfeitos estabeleceu a im-plantação do PCCV da categoria para 2012 (dentro do prazo legal previsto pela legislação eleitoral, por ser um ano de eleição). Na terça-feira (13), os médicos voltaram ao trabalho.

AINDA SEM DIÁLOGO
As prefeituras de Boca da Mata, Barra de Santo Antônio e União dos Palmares estão entre as que ainda não iniciaram negociação sobre a greve no PSF. Em Boca da Mata, os salários foram suspensos desde a decretação da greve. O mesmo ocorreu na Barra de Santo Antônio, onde os médicos só pararam em novembro, mas não receberam salário de outubro.

Já União dos Palmares cancelou uma reunião com a diretoria do Sinmed na última hora, quando os diretores do Sindicato já estavam na estrada, a caminho da cidade. Ficou uma pro-messa de negociação para os próximos dias, antes do Natal.

RANKING DAS PIORES PREFEITURAS
O Sinmed está elaborando, para divulgar, em breve, como um alerta aos médicos, um ranking das prefeituras que mais desrespeitam a classe médica, o trabalho médico e a medicina.

Os médicos serão desaconselhados a aceitar emprego nessas prefeituras reconhecidas por pagarem baixos salários, não oferecerem condições éticas de trabalho e por fazerem pouco caso dos médicos e da saúde da população.
Fonte : Sinmed/AL



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 697 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)