Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

SIMERS e entidades de usuários exigirão que partos ocorram em Guaíba



12/12/2011
Sindicato Médico do RS (SIMERS), Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) e União das Associações de Moradores de Guaíba (Uamg) deflagram mobilização para exigir que o prefeito do município dê condições para as gestantes terem seus bebês pelo SUS na cidade. Há quase dois anos e meio a maternidade do Hospital Livramento foi fechada pela Justiça. As entidades, com participação também de representantes do Conselho Muncipal de Saúde, fizeram vistoria ao Livramento e constataram condições limitadas de funcionamento, com unidades desativadas (como a maternidade e o bloco cirúrgico) e até um raio-X novo móvel doado em 2009 à instituição e que nunca foi usado.

Em reunião do Conselho Municipal de Saúde, que ocorrerá no final da tarde desta segunda (12), as entidades vão propor que o órgão se posicione. O Hospital da Unimed, que só atende convênios e particular, fez uma proposta paa atender os partos, mas até agora não houve posição do município. "É obrigação da prefeitura garantir a assistência e há alternativa na cidade e que evitaria que as grávidas tivessem de ir até Porto Alegre", alertou a diretora do SIMERS, Clarissa Bassin. O que preocupa ainda é que já houve casos de partos feitos no Pronto Atendimento local, o que colocar em risco mulheres e bebês. "Não há obstetras e nenhuma condição para este tipo de procedimento", justifica Clarissa.

A presidente da Abrasus, Terezinha Alvez Borges, destacou que uma cidade como Guaíba, com quase cem mil habitantes, não pode ficar sem atendimento em obstetrícia. "Vamos lutar por este direito. A prefeitura não executa medidas que assegurem a assistência. Se há um outro hospital que pode fazer o atendimento, buscaremos os meios legais possíveis para fazer valer o direito das mulheres", antecipou Terezinha. A Abrasus já tem um trabalho consolidado na Capital, que é pautado pela defesa dos usuários. Ações judiciais movidas gratuitamente têm conseguido agilizar o repasse de medicamentos e o agendamento de consultas com especialistas e cirurgias. "A população pode contar com todo o nosso apoio", avisou a presidente da Abrasus.
Fonte : SIMERS



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1185 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)