Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Ministro pede a gestores que ouçam a população nas principais decisões



10/08/2011
Alexandre Padilha participou da VII Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou na manhã desta terça-feira (09), às 11h, em Belo Horizonte (MG), da VII Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais, que reúne 2 mil pessoas, entre usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), profissionais e gestores de saúde de todo o Estado, para discutir sobre os desafios e as perspectivas do SUS. "Eventos como esses são necessários para trazer a população para a discussão. É importante que os gestores escutem a sociedade nas tomadas de decisões", enfatizou.

O evento é a primeira conferência estadual de chamamento para a 14ª. Conferência Nacional de Saúde, que será realizada de 30 de novembro a 4 de dezembro, em Brasília (DF). O ministro lembrou que a conferencia, cujo tema é "Todos usam o SUS! SUS na seguridade social, política pública, patrimônio do povo brasileiro", vai tratar da qualidade do acesso e que esta qualidade depende de quatro eixos: do controle social, do atendimento básico, da assistência farmacêutica, e do atendimento integral à saúde da mulher.

Programa - Ainda na manhã de hoje (9), o ministro participou do lançamento do projeto "Mães de Minas", realizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. O projeto está em sintonia com a Rede Cegonha, do Governo Federal, que tem ações estratégicas para garantir a todas as brasileiras atendimento adequado, seguro e humanizado desde a confirmação da gravidez, passando pelo pré-natal e o parto, até os dois primeiros anos de vida do bebê. Lançado em março deste ano pela presidenta Dilma Rousseff, a Rede Cegonha prevê recursos na ordem de R$ 9,397 bilhões do orçamento do Ministério da Saúde para investimentos até 2016. "Este espírito acolhedor do povo mineiro pode ser importante na hora de acolher a gestante no posto de saúde", ressaltou Padilha.

O ministro lembrou que a Rede Cegonha vai ter o contato da gestante deste da primeira consulta. O contato vai permitir ao Ministério da Saúde acompanhar esse atendimento por meio da Ouvidoria. "Uma pesquisa (anterior a Rede Cegonha) nos mostrou que 27% das mulheres se sentem violentadas durante o parto e no período neonatal. Precisamos que vocês denunciem se isso ocorrer", disse.

Adesão - No início de julho, municípios mineiros que integram a região metropolitana de Belo Horizonte (MG), assinaram um termo de compromisso para a adesão à Rede Cegonha e à Rede de Urgência e Emergência, programas estratégicos do governo federal. Na ocasião, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou que até 2014 o Ministério da Saúde prevê o repasse de R$ 220 milhões para essas duas redes na região.
Fonte : Ministério da Saúde



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 527 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)