Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

FENAM pede ao ministro da Educação que impeça abertura de escola médica em São Paulo



16/03/2011
A Federação Nacional dos Médicos quer que o ministro da Educação, Fernando Haddad, impeça a abertura de uma nova faculdade de medicina em São Paulo. Desta vez, é a UNIFRAN, Universidade de Franca, que solicita a instalação de um curso de graduação médica em suas dependências.

O presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, enviou ofício ao ministro através do qual relata os motivos que a entidade tem para tentar impedir que mais um curso de medicina se estalebeça no país. No documento, o presidente da Federação Nacional dos Médicos afirma que a política de distribuição de médicos não se resolve com aumento indiscriminado na formação de profissionais e lembra que a própria Secretaria de Ensino Superior (SESU) do Ministério da Educação concluiu pela não abertura do curso.

A diretoria da FENAM argumenta também que critérios de regionalização e de atendimento das necessidades sociais não foram observados pela UNIFRAN em sua reivindicação para a abertura do curso de medicina.

Leia abaixo o ofício na íntegra

Ofício 064 / 2011

Brasília, 14 de março de 2011

Excelentíssimo Senhor
Doutor Fernando Haddad
Digníssimo Ministro de Estado da Educação

Senhor Ministro,

A Federação Nacional dos Médicos – FENAM - tem pautado suas ações no que diz respeito ao ensino de graduação médica, enfatizando necessidades para sua atuação, destacando como relevante a abertura de novas faculdades de medicina no país.

Entendemos que a política de distribuição de médicos não se resolve com aumento indiscriminado na formação de profissionais. Assim, esse pretenso aumento não é sinônimo da plena satisfação das demandas da população.

Critérios de regionalização e do atendimento das necessidades sociais são relevantes e não foram observados na pretensão da UNIFRAN - Universidade de Franca - no Estado de São Paulo, para abertura de um curso de graduação médica em suas dependências.

A pletora de escolas médicas na região da cidade de Franca, por si só, impede novas faculdades naquela área, sepultando de vez as proposições da UNIFRAN.

A compreensão da SESU - Secretaria de Ensino Superior da sua pasta, acolheu, em parecer pretérito, a realidade da insatisfação de necessidades sociais, concluindo pela não abertura do curso ora enfocado.

Em sentido contrário foi o parecer formulado pelo Conselho Nacional de Educação, autorizando a abertura pretendida.

A FENAM externa a vossa Excelência a sua posição solidária com o parecer da SESU negando a abertura daquele curso e solicita-lhe acolher tal parecer impedindo a abertura da faculdade de medicina da UNIFRAN.

Cordiais saudações,

Dr. Cid Célio Jayme Carvalhaes
Presidente


Fonte : Denise Teixeira/FENAM



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1199 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)