Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar




Palavras-chave

Livro orienta médicos a comunicar diagnósticos graves a pacientes e familiares



24/09/2010
Muitos médicos sofrem e podem ter problemas emocionais nessas situações; quando o tratamento não produz resultados, eles tomam como fracasso pessoal

Como informar um diagnóstico grave ao paciente e aos familiares sem gerar pânico ou uma reação mais grave? Esse é o dilema que muitos médicos enfrentam no dia a dia da profissão. Pensando nisso, o Inca (Instituto Nacional de Câncer), do Rio de Janeiro, em parceria com o Hospital Albert Einstein, de São Paulo, reuniu depoimentos de vários profissionais da saúde, como médicos e enfermeiros, e produziu o livro "Comunicação de Notícias Difíceis: Compartilhando Desafios na Atenção à Saúde", organizado por Priscila Magalhães, coordenadora da Política de Humanização do Inca.

A publicação, com uma tiragem de 10 mil exemplares, está pronta e começa a ser distribuída, a partir de novembro, a toda a rede do SUS (Sistema Único de Saúde). Nos relatos, os profissionais narram as delicadas situações que passaram no contato com familiares e pacientes com câncer e conseguiram superar. A coordenadora Priscila Magalhães explica que dar más notícias é muito difícil para os médicos e enfermeiros envolvidos, apesar de ser algo rotineiro.

Priscila conta que é muito delicada cada fase de comunicação da doença ao paciente e seus familiares. "É uma experiência de co-responsabilidade de toda a equipe. Comunicar sobre a doença é difícil desde o diagnóstico do câncer até a explicação das formas de tratamento necessárias, principalmente quando a doença já está avançada. É delicado também contar sobre os efeitos adversos do tratamento, como possíveis amputações. Mas a situação mais difícil é falar quando se esgotaram os recursos de tratamento."

Segundo a coordenadora, sem saber como lidar com os próprios sentimentos, principalmente nos casos graves, muitos médicos sofrem e podem ter problemas emocionais. "São situações difíceis. Principalmente para os médicos, que são formados para obter êxito na cura. Então, quando o tratamento não produz resultados, muitos deles tomam como fracasso pessoal, ao invés de encarar como um limite da medicina atual"

A expectativa de toda a equipe de produção do livro é de que ele sirva como suporte para esses profissionais e provoque discussões em grupo sobre como lidar melhor com situações difíceis.

Fonte : Ministério da Saúde



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 797 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)