Sindicatos Médicos:

 
Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Seminário aborda conquistas e desafios dos 20 anos do SUS



21/11/2008
O Sistema Único de Saúde (SUS) passou por uma análise depois de seus 20 anos de funcionamento. Durante a abertura do "Seminário 20 anos do SUS", realizado na Câmara dos Deputados, na última quinta-feira (20/11), as questões sobre o financiamento, orçamento e a gestão do SUS foram os assuntos mais abordados.

O Deputado Jofran Frejat (PR/DF) fez a abertura do evento e lembrou que há 20 anos a meta do SUS era a inclusão social no serviço hospitalar público e que o objetivo do Sistema daquela época foi atingido. "O SUS foi criado para a inclusão social e o resultado foi obtido. O SUS é hoje o maior programa de inclusão social do Brasil, entretanto, enfrenta problemas atuais", ressaltou Frejat.

Frejat destacou que mesmo com a inclusão dos cidadãos ao SUS, os resultados na assistência básica e nos programas de atenção primária, secundária e terciária não são tão satisfatórios. "Avançamos com os programas secundários do Governo, mas precisamos avançar mais para que eles atinjam a todos os cidadãos," apontou o deputado, referindo-se aos programas governamentais como o Saúde da Família e Farmácia Popular, entre outros.

O Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, presente na abertura do Seminário, disse que o SUS vive um momento paradoxal. "Este momento em que comemoramos os 20 anos do SUS é sempre um momento de relembrarmos as conquistas e refletirmos sobre os desafios," afirmou Temporão, que destacou o financiamento e o fortalecimento da atenção básica à saúde como os principais desafios do Sistema.

Durante o seminário, as questões do médico também foram lembradas. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o deputado petista, Dr. Rosinha (PR), falaram sobre o plano de carreira médica no SUS e sobre uma remuneração mais justa e adequada ao profissional.
"Um dos problemas enfrentados é o do médico. Temos de criar uma cultura de uma carreira pública, com remuneração digna," afirmou Dr.Rosinha.

"Os vínculos de trabalho são precários, as contratações muitas vezes são inadequadas e não existe uma estratégia nesse sentido para o profissional da saúde e para o médico. Não existe um espaço de desenvolvimento profissional, onde ele possa se qualificar, se aperfeiçoar e crescer," acrescentou Temporão.

Confira a matéria em vídeo no canal da FENAM TV.
Fonte : Taciana Giesel, com edição de Denise Teixeira



Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1428 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)